Mundo enquadrado

Hoje fiquei presa em um trânsito de fazer dó, como em muitos outros dias, quando volto para casa do trabalho às 18H00. Uma fila interminável de veículos me fazia crer que dali não sairia jamais. Dormi, acordei e a paisagem era a mesma. Dentro do ônibus (=autocarro) onde estava, o silêncio e o sono dominavam as pessoas que eram cumplices no cansaço de um dia de trabalho. Olhei para o infinito e um mar de luzes vermelhas e amarelas que daçavam na escuridão da estrada faziam-me navegar (a menos de 20km/h) nas ondas dos meus pensamentos que, de repente, sofreram a interferência de um ruido, um chiado, seria o canto da sereia? Não, era um ser portador de um IPod, com seus fones de ouvido que para nada servem, pois deixam escapar um tixitxitxiturumtixi, uma linguagem extraterrena incompreensível e irritante. Toda essa situação, enfim, fez-me lembrar a música da Adriana Calcanhoto: “Esquadro“, pois passamos tanto tempo vendo o mundo através de uma janela de um transporte público ou particular, que olhamos a sociedade, a natureza como se estivessem enquadradas em uma tela. A imagem captada depende da localização em que estamos dentro do veículo. Tiramos, enfim, várias fotografias em movimento ao longo do trajeto.

(…)
pela janela do quarto
pela janela do carro
pela tela, pela janela
(quem é ela, quem é ela?)
eu vejo tudo enquadrado
remoto controle

eu ando pelo mundo
e os automóveis correm para quê?
as crianças correm para onde?
transito entre dois lados de um lado
eu gosto de opostos
exponho o meu modo, me mostro
eu canto pra quem?

(…)

6 pensamentos sobre “Mundo enquadrado

  1. Engarrafamentos me remetem ao filme Um Dia de Fúria, com Michael Douglas. Legal sua inferência da janela enquanto quadro, pois é exatamente assim que os estudiosos da Semiótica afirma que vemos o mundo: encerrado por sua moldura. A forma como o olhar capta a situação ou o contexto e a recorta é exatamente como emolduramos cada uma de nossas leituras do mundo em que vivemos. Interessante, não?!

    Saudades de ti, viu amiga?! Estou às voltas com a preparação das aulas e de vez em quando bate aquele tédio. Ai, ai..

    Beijos!!

  2. Oi!! Olha aí, vc usou uma onomatopéia pra un Ipod! hehehe
    Nossa, quase todos os dias que eu volto da universidade também pego congestionamentos. Antes eu me incomodava mais, já até acostumei. Nao tem jeito, pra que ficar nervosa…rsss

    bjs

  3. Isso me faz lembrar as limitações.

    o enquadrado é próprio da matemática, assim como todos nós somos.

    Nos delimitando a espaços!
    Abraços!!!!

  4. Mas tem uma coisa: usar iPod é como dar à vida uma trilha sonora constante. É claro que não dá pra ficar alheio ao que se passa lá fora, mas devo confessar que adooooooro o meu iPod e caminhar pelas ruas ouvindo músicas que deixam a vida mais agradável. :0

  5. Eu não tenho nada contra os IPods e outros equipamentos sonoros, mas… os usuários devem ter a noção de pôr um headphone mais apropriado em locais públicos, aqueles que resguardam totalmente o som para si próprio, porque o que escapa de lá não é música nem nada, é um barulho constante, incompreensível e insuportável.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s