A arte de ser paraibano

 

 

O Paraibano…

não faz a volta, ele arrudeia.
não é distraído, é alesado / abestalhado.
não “vai com sede ao pote”, ele “vai com a bexiga taboca”
não conserta, ele imenda.
não bate, ele “senta-le a mãozada”.
não sai pra confusão, ele sai pro muído.
não bebe um drink, ele “toma uma”.
não “joga fora”, ele “rebola no mato”.
não é sortudo, ele é cagado.
não corre, ele faz carrera.
não ri, ele “se abre”.
não brinca, ele manga.
não imita, ele arremeda.
não compra um litro de cachaça, ele compra um tubo.
não toma água com açúcar, ele toma garapa.
não exagera, ele alopra.

Eita, que é bom que só falar assim… saudade da peste!

7 thoughts on “A arte de ser paraibano

  1. É bom saber que temos raízes e podemos estabelecer uma relação entre o passado e o presente.

    Ainda bem que vc vai poder matar saudades de perto, né???

    Abração!

  2. Adorei…
    Tenho parentes paraibanos e acho legal e ao mesmo tempo divertido o modo que se expressam.
    Recentemente estive em Campina Grande(PB)
    e fiquei perdida quando uma senhora contava que a sua irmã
    FLEXEROU no açude, ou seja, mergulhou no açude..rsss

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s