Crestomatia

CrestomatiaUm livro que me chamou a atenção, por meu pai já ter estudado por ele, dentre muitos a que tive acesso na Biblioteca da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, foi um chamado “Crestomatia” (publicado em 1936 pela Livraria Globo, Porto Alegre), organizado pelo Prof. Radagasio Taborda, constituído por excertos escolhidos em prosa e verso dos melhores escritores brasileiros e portugueses (Coelho Neto, Eça de Queiroz, Rui Barbosa, Camões…). Essa obra foi adotada nos principais ginásios e escolas normais do Brasil da época e é dividido em duas partes. Os textos da primeira parte destinavam-se aos seguintes temas: narrativas e lendas; dissertações, moral e religião; descrições; geografia, história e biografias; humorismo, fábulas e anedotas. Já os textos da segunda eram: apólogos, alegorias; sonetos, poesia lírica; descrições; odes, poesia épica; sátiras e epigramas. O aluno tinha, assim, um panorama completo das diferentes formas de construir um texto.

Crestomatia (gr. Khrestomátheia) Sf 1 Coleção de trechos e trabalhos seletos de vários autores, especialmente de línguas estrangeiras, com notas e explicações, para servir de auxílio no estudo de línguas. 2 Volume de trechos históricos de um autor. 3 Antologia. (Dicionário Michaelis)

Até meados do século XX, eu acho, os liceus brasileiros adotavam muito as antologias (de escritores brasileiros e portugueses). Eram textos variadíssimos e com uma boa dosagem de religião, história e geografia e um apelo à educação moral e cívica. Eram “obrinhas” destinadas aos “jovens” ou a “mocidade” brasileira. Os conhecimentos de gramática pretendiam ser passados de forma indutiva e a cargo da criatividade do professor em ministrar a aula. Pretendia-se com esses livros alimentar o gosto pela leitura dos bons escritores e ministrar aos alunos o cabedal indispensável à formação do seu espírito bem como à sua educação literária. O objectivo primordial era formar alunos competentes no uso da língua, com boa retórica e eloquência, que dominassem perfeitamente a ortografia (exposta à sanções governamentais – acordo de 1931) e o vocabulário. Era preciso também ter bastante treino na leitura em voz alta, saber as técnicas para recitar versos e dominar a linguagem e dicção para qualquer tipo de exposição oral. Pergunto-me agora: o que seria de mim nessa época…? As coisas não eram nada fáceis… Além disso, ainda tinha o poder da palmatória  a espreitar da mesa da professora… Ai daquele que errasse a lição…

41 thoughts on “Crestomatia

  1. Menina!!! Mainha vive falando dessa publicação!!!!! KKKKKK
    Ela fala que: “isso é mais velho que a crestomatia!”
    Mas ela estudou por ele, kkkkkkkkkk!

  2. Ao ver a foto do exemplar neste site, trasportei-me la para minha infancia, quando nos éramso obrigado a ler a Crestomatia. Hoje encontra-se muito bem conservada com um dos meus irmãos e leitor da mesma la em Fortaleza. Que tempo maravilhoso. É so saudades.

  3. EU SOU 12º FILHO EM MINHA FAMÍLIA, TODOS OS MEUS IRMÃOS ESTUDARAM NO LIVRO “CRESTOMATIA”. TENHO TENTADO COMPRAR E NÃO CONSIGO ENCONTRAR, NEM NOS SEBOS TENHO CONSEGUIDO. SE ALGUÉM SOUBER ONDE POSSO ENCONTRÁ-LO, POR FAVOR ME AVISE.

  4. Ai, deu saudade lembrar-me da velha Crestomatia, tirada do fundo da mala de meu pai… Preso em casa, sem irmãos, sem videogame, televisão, computador, eu lia muito, geralmente tomando emprestado. Meu pai nunca fez o “fundamental”, nenhum diploma recebeu, mas aprendeu a ler e lia para eu ouvir.

    Comparar os livros verdadeiros, as antologias e as crestomatias com paradidáticos que maltratam eucaliptos (na vida e na ortografia), como um tal de “A fábrica (de papel? de livros?) que uma escola “adotou” para meus filhos?

    Não vi avanço em nossa escola, não parece melhor que a que usava um “Quinto livro de leitura” lá pros idos de 1907, quando ainda havia o Império Austro-Húngaro, aprendia-se sobre o que era “setemptrional”, as vertentes dos grandes rios…

    Como a NASA está decadente, onde vão pôr os que pegam escoliose (parece vindo de escola), mudam de matéria a cada 45 minutos, passam um ano em mecânica ou ótica? Ou veem todo o velho “segundo grau” em dois anos com apostilas de professores da escola, de fato montagens acríticas, para dedicar o último ano à resolução de questões de provas?

    Os alunos dessas escolas de fama aprendem porque têm mesa em casa, tempo e exigência de leitura e exercício, ao contrário dos filhos de pais da construção civil (ou sem emprego, sem pais), que apenas vagam por aí ajudam a manter a casa desde criança. Que chegam ao vestibular com diplomas finais e ensino médio falsos, mesmo assinados legalmente, sem terem aprendido a ler.

    Um abraço,

    alber

  5. Será que, já que não se encontra mais este livro nem mesmo nos sebos, alguém que o tenha não poderia escaneá-lo, realizando o desejo de tantas pessoas?

    Meu pai, sempre que recorre ao seu tempo de infância, recita textos inteiros deste livro, movido pela memória emocionada de seu tempo de outrora.

    Sempre que vou procurar pelo google ou outros meios, só encotnro comentários de pessoas também saudosas ou ansiosas por encontrá-lo… alguém! faça essa vontade de tantos que viveram tão intensamente esses momentos de leitura deste lendário livro! 🙂

  6. Por favor, se alguém tem uma cópia deste livro me comunique, que darei um bom presente como forma de agradecimento. por favor entre em contato comigo, este livro irá realizar um sonho de meu pai. obrigado.

    1. Ah! Que saudades! Estudei na Crstomatia quando tinha 12 anos de idade, em 1942. Fazia o 2ºAno Primário, na escola de D. Lauricéia, no Sertãozinho em Caxangá. Histórias lindas que me encantaram e me emocionaram: “Minha irmã Celina”, a poesia “O cão”, “A flauta e o sabià” e muitas outras que, sem sombra de dúvidas, contribuiram para a niossa fomação moral e intelectual.
      Ah! será que alguém me dará esse prazer de novamente ter essaobraem minhas mãos? A minha foi tragada pela cheia do rio Capibaribe. Este seria o mais valioso presente para os meus oitenta anos. Que Deus abençoe a quem for o responsável por tamanha felicidade!
      Recife, 17 de maio de 2010.
      Izabel

  7. Olha, eu também ando procurando esse livro, estudei nele no exame de admissão, no século e no milenio passados, não é um barato, eu sou milenar, como diria o Raul Seixas! Eita saudade danada! Nessa era digital, bem que podiam recuperar essa danadinha da crestomatia, apesar de danadinha era “O Livro”, já que não encontramos nem nos sebos da vida.

    1. Olá, Sra. Izabel!

      Obrigado por compartilhar suas memórias conosco. E parabéns por apesar de ter memórias tão antigas, também está atualizando-se através de relações virtuais!

      Creio que alguém que o tenha, vendo estes pedidos movidos por memórias tão doces de nossos avós, pais etc. possa ser tocado e motivado a escanear o que lhe pertence… uma vez escaneado, torna-se “imortalizado”, pois os arquivos digitais não dão brecha para o egoísmo… simplesmente enviamos o que temos e não perdemos nem uma “célula” do que continuaremos a ter.

      Por favor! Alguém que o tenha, escaneie! Ainda que devagarinho… todos os dias algumas páginas.

      Mas sugiro que disponibilizem AQUI MESMO o link para que todos possamos baixá-lo. Não mandem para um email específico, mas torne-o público!

      Tenho 42 anos de idade e nunca vi este livro, mas o fato de meu pai (e tantos relatos de idosos) lembrarem dele com tanta “vida” me move a escrever para todos que, de alguma forma, puderem promover a realização desse sonho.

      1. Eu encontrei em arquivo PDF, se quiser posso encaminhar para o sr. Tem 475 pgs. Procurei e achei para minha avó que tem 90 anos. Ela sempre me falou de uma história de nome Noemi da pg 95.

  8. Que saudade…… Meus pais eram do campo (Conduru, entre Timon e Matões-MA), eu também, é claro. Obrigaram-me a estudar em Teresina-PI. Eu era um “indinho” que amava aquela selva. Numa volta ao Conduru, alegrei
    tremendamente os meus pais, ao recitar:
    Cabeça que desconsolo,
    Cabeça que pesadelo,
    Por dentro não tem miolo,
    Por fora não tem cabelo.

    Passei para meus filhos e agora passo para meus netos. Não sei o autor. Apenas falo que aprendi na CRESTOMATIA.

    1. Querida Denise,

      Você conseguiu abrir o arquivo? Cliquei no link que você nos enviou e encontrei o nome do arquivo disponibilizado para ser baixado. Mas quando clico neste, parece que inicia mas nunca completa. Eu gostaria de saber se você conseguiu baixá-lo. Obrigado por sua disponibilidade em compartilhar conosco! 🙂

  9. Tive de ler a Crestomatia muitas vezes quando tinha 10 anos em 1965.Para mim era um
    livro enorme,volumoso, muito grande naquela ocasião.Lembro-me da Poesia belíssima ”
    Um dia na vida do rei Leão” Descrição na Mata” e “O Cavalo Branco”entre outras. Mas
    procurando um dia este livro para minhas recordações,acabei por encontra-lo na Bibliote-
    ca Pública de Fortaleza, no setor de “Obras Raras”Passei meio dia folheando e lendo-o.
    Foi muito gratificante.Espero que ainda esteje lá, pois isso foi em maio de 1999.

  10. Srª DENISE TAVARES, os nossos sinceros agradecimentos por disponibilizar o link para baixarmos tão valiosa obra. Valeu muito… DEUS A ABENÇOE.

  11. Por favor, eu também ando procurando desesperadamente a Crestomatia, do Autor: Radagasio Taborda. Meus pais, bem idosos, sempre ficam tristes ao lembrar que tal livro foi extraviado. Assim, se alguém souber como posso comprá-lo, por favor, avise-me.
    Abraços,
    Márcia.
    Segue o meu e-mail para resposta: marciacnas@yahoo.com.br

  12. Estudei nesse livro para Admissão ao Ginásio, no Colégio Sagrado Coração de Jesus em Teresina Piaui. Se alguem souber onde encontrar esse livro, nem que seja em Biblioteca, por favor me avise.

    1. A Denise Tavares (ver comentários acima) conseguiu encontrar uma versão eletrónia do livro. Vale a pena dá uma olhada para ver se consegue abrir e depois imprime. Fica, portanto, com o livro em sua estante de casa.

  13. Que bom ver o livro que um dia possui: “CRESTOMATIA”.
    Li e reli várias vezes este livro na minha juventude, quanta saudade.
    Parabéns a vocês, pela publicação.

  14. Ninguem sabe onde encontrar e baixar essa relíquia? Se alguém sabe, repasse o link ou arquivo. Um abraço! Eliezer Souto.

      1. Depois de deixar um comentário abaixo é que fui ler os comentários acima e achei o seu. Se puder me fazer a mesma gentileza ficarei muito grata. Obras como essa devem ser propagadas.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s