O tempo a escorrer pelos dedos

Imagem

Liguei a televisão e estava a passar o filme Mamma Mia. Já ia para mais da metade e fiquei para ver o restante. O filme não é essas coisas todas para se ver mais de uma vez, pelo menos na minha opinião, mas até que diverte e há uma cena que me emociona sempre que a assisto, que é a da música “Slipping through my fingers“, dos ABBA. Quando fui assistir a essa filme no cinema, logo que estreiou em Portugal, até escrevi sobre isso aqui na altura (https://galeota.wordpress.com/2008/09/13/um-passo-para-o-futuro/), saí de lá chorando convulsivamente, apesar da película ter lá algum ar de comédia. Lembrei-me da minha irmã, como já falei no post mencionado. Agora, sinto mais coisas. Na época, senti-me no papel de filha, no papel de quem quer colo nesse momento véspera-de-casamento, de quem precisa de pedir desculpas para a mãe, para os pais, pelos desgostos e decepções que lhes proporcionou, precisa de chorar, de sorrir em companhia da família, de viver últimos momentos. Não fiz nada dessas coisas antes de casar. Tratei o meu rito de passagem para um outro modo de vida muito mal. Foi tudo muito apressado e desorganizado. Apesar de ter sido um dia muito feliz. Agora, vejo a cena através do prima materno e como diz a música “I try to capture every minute / The feeling in it”, tento capturar cada minuto da minha filha que posso, fazer com ela tudo que posso, ir com ela para todos os lugares que posso e sorrir com ela em todos os momentos que puder. Tenho medo e já sentimento de culpa de lhe faltar. Tenho sentimento de culpa de não ter compartilhado momentos com a minha mãe, por pura imaturidade, e, assim, saudade de momentos que não vivi. Enfim, espero que o futuro me presentei com um bilhete para entrar na vida de minha filha e de fazer parte dela e termos um existência sem segredos, compartilhada da melhor forma.

Escorregando Pelos Meus Dedos (tradução)

Com a mochila da escola na mão, ela sai de casa de manhã cedo
Acenando adeus com um sorriso distraído
Eu a vejo partir com uma onda daquela bem conhecida tristeza
E eu tenho que me sentar um pouco
O sentimento de que eu a estou perdendo para sempre
E sem realmente entrar em seu mundo
Fico feliz todas as vezes que posso compartilhar de sua risada
Essa menininha engraçada
Escorregando pelos meus dedos todo o tempo
Eu tento capturar cada minuto
O sentimento nisso
Escorregando pelos meus dedos todo o tempo
Eu realmente vejo o que está na mente dela?
Cada vez que eu penso que eu estou perto de saber
Ela continua crescendo
Escorregando por entre meus dedos todo o tempo
Sono em nossos olhos , ela e eu na mesa do café
Meio acordada, eu deixo tempo precioso passar
Então quando ela se vai tem aquele ocasional sentimento melancólico
E um sentimento de culpa que eu não posso negar
O que aconteceu às aventuras maravilhosas?
Os lugares que eu tinha planejado para nós irmos
(escorregando pelos meus dedos todo o tempo)
Bem, algumas delas nós fizemos, mas a maioria não
E o porquê eu simplesmente não sei
Escorregando pelos meus dedos todo o tempo
Eu tento capturar cada minuto
O sentimento presente
Escorregando pelos meus dedos todo o tempo
Eu realmente vejo o que está na mente dela?
Cada vez que eu penso estar perto de saber
Ela continua crescendo
Escorregando por entre meus dedos todo o tempo
Às vezes eu queria poder congelar a imagem
E salvá-la dos engraçados truques do tempo
Escorregando pelos meus dedos
Escorregando pelos meus dedos todo o tempo
Com a mochila na mão, ela sai de casa de manhã cedo
Acenando adeus com um sorriso distraído
 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s