Ruptura

estilhaço

Metade minha,

Cara,

Roubada.

Tudo acabado.

Um corpo, ingrato,

estranho,

ramificado sobre nós.

Laços desfeitos.

Suores de amor…

Agora, orvalho de uma noite

Sem estrelas.

Alma vaga,

Sorriso congelado,

Respirar forçado.

O coração, vaso de vida,

Vermelho fraco,

Estilhaçado.

 

(by Sandra Marques, 2004)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s