Bodas de aço

bodas de aço

“O amor só é amor, se não se dobra a obstáculos e não se curva a vicissitudes… é uma marca eterna… que sofre tempestades sem nunca se abalar.” (William Shakespeare)

Foi ontem, foi ontem as nossas bodas de aço, mas ainda tá valendo, porque, para ambos, o dia, o nosso dia, foi muito atribulado. Em 11 anos de casados, já comemoramos com atraso, já esquecemos da data por momentos, mas… ainda há tempo para retornar e dizer o quanto este tempo nos fez crescer, nos fez descobrir defeitos e qualidades um do outro, nos fez entender que, se passamos todo este tempo juntos, finalmente não vale a pena carregar em teclas que não soam como imaginamos ou queremos e é melhor não deixar tocar mais rotineiras canções. Cantemos outras. Os ajustes foram difíceis, mas serão e existirão sempre, até que não seja possível mais estarmos juntos. A vida nos ensina que todos os dias é tempo de aprender. Enfim… Chegamos cá. Atravessei vales desconhecidos, mas tive confiança em ti para guiar-me nas veredas desta relação, do dia-a-dia. Foste sempre muito paciente para aturar os meus erros e feitios. Não sei se te retribui com a mesma moeda, mas estou apta a continuar trabalhando para a felicidade que temos ou melhor. Digo-te que agradeço ao universo inteiro por cada momento que vivemos. Desejo que, de forma uníssona, mais 11 venham!

1º dia do resto das nossas vidas…

1aulaHá seis anos, iniciei uma etapa diferente da minha vida. Depois de concluídos mestrado, doutorado, chegou a vez da maternidade. Entrei em um grande ciclone, um turbilhão de emoções, de sustos, de (im)paciência mesclado com fraldas, mamadeiras (=biberões), berreiros, leite em pó, vitaminas, sorrisos, alegrias e assim por diante. Um aprendizado constante. À medida que os anos se passavam, os instrumentos de convívio mudavam, as palavras, a comunicação verbal ia tomando formas e o vocabulário adquirindo novos contornos.

 

Lindas construções agramaticais que brotavam da inocente boca de minha ex-bebê, a incrível descrição das horas, tamanhos dos objetos, a criativa explicação da falta de noção da passagem do tempo, que arrancava risos e paixão daqueles que escutavam, estão ameaçados à extinção. Preparamo-nos, portanto, para entrar em um novo ciclone: minha filha está a se preparar para ser uma criança comum, homogeneizada pelos bancos escolares. Depois de 6 anos de vida de oralidade, agora chegou a hora de suas experiências serem registadas num papel, por ela própria. Tenho pena de vê-la perder seus infantis sintagmas, mas contente por vislumbrá-la chegar a uma nova fase de sua vida. Além de flores, bonecos e estrelas, agora vou receber papeizinhos com palavras, com textos e com emoções que brotam do seu coraçãozinho.

 

Estou a uma semana deste grande evento: o início do seu primeiro ciclo escolar. Livros, cadernos, lápis esperam para receber seus primeiros rabiscos e eu… ansiosa para o começo de uma rotina que levará anos para ser alterada e desejosa de ver como tudo vai correr. E que venha mais esta experiência!

  • Filha, para quem vai ser a tua primeira cartinha?
  • Para a avó.

De amor a zinco

bodas-de-aco-como-comemorarEste mês, completo, ou melhor, completamos, 10 anos que estamos casados, as tais bodas de estanho e zinco. Para abrilhantar esta data… Êpa, acabo de vislumbrar, da prateleira da estante, uma embalagem do Multivitaminico e Multimineral Centrum Select 50+ “completo de A a Zinco”. Pois… depois destes anos todos, é preciso um complemento assim, embora, pelo menos eu, sinta-me completa: tenho um coração preenchido de boa convivência, de amizade, de partilha, de diálogo, de carinho e, como não pode deixar de haver, de amor.

Aqui em casa, vagueiam nossas quatro pernas, mais duas que fizemos e quatro patas. Um conjunto de um dinamismo incalculável. Na atualidade, viver “coisas de casal” até parece um sonho distante. À noite, todas estas pernas/patas parece que andam unitariamente pelos quatro cantos da casa e formam casais diferentes do que era suposto. Nunca se sabe que quadro se irá descortinar durante a manhã, quem acordará com quem e onde. São nessas fases que muitos casamentos sofrem insolvência e a presença dos metafóricos elementos estanho e zinco tem extrema importância.

O zinco simboliza o quanto  o casal está seguro, preparado e comprometido para fazer sacrifícios para manter sua aliança saudável, pois este metal é utilizado principalmente em ligas metálicas de aço, ferro e alumínio, para proteger estes outros metais da corrosão e da ferrugem. O estanho é um metal maleável e flexível devido ao seu baixo ponto de fusão, e isso indica o ponto em que está a relação do casal, que depois de dez anos, já está adaptado um ao outro, e é mais flexível em relação aos possíveis desentendimentos do dia a dia.

Atingir dez anos significa que conseguimos, através das próprias conquistas, carregar o comprometimento de uma década com nossas escolhas do passado. Conseguimos dez lindos anos de experiência, vivência, paciência, flexibilidade e adaptação. É um estar-se preso por vontade, como já diria o Camões. Um fogo que arde de forma calma e intensa, com uma luz que precisa orientar uma criança e trazer-lhe tranquilidade, segurança e paz.

Que nunca nos falte estanho e zinco e que nosso casamento seja sempre multimineralizado. Não vou dizer que te amo aqui, porque parece coisa de maricas, piegas, não é?

 

Os números de 2010

Os duendes das estatísticas do WordPress.com analisaram o desempenho deste blog em 2010 e apresentam-lhe aqui um resumo de alto nível da saúde do seu blog:

Healthy blog!

O Blog-Health-o-Meter™ indica: Uau.

Números apetitosos

Imagem de destaque

O Museu do Louvre é visitado por 8,5 milhões de pessoas todos os anos. Este blog foi visitado cerca de 74,000 vezes em 2010, o que quer dizer que se fosse uma exposição no Louvre, eram precisos 3 dias para que as mesmas pessoas a vissem.

Em 2010, escreveu 12 novo artigo, aumentando o arquivo total do seu blog para 145 artigos. Fez upload de 35 imagens, ocupando um total de 9mb. Isso equivale a cerca de 3 imagens por mês.

O seu dia mais activo do ano foi 31 de Maio com 445 visitas. O artigo mais popular desse dia foi Belos versos.

De onde vieram?

Os sites que mais tráfego lhe enviaram em 2010 foram search.conduit.com, google.com.br, google.pt, search.babylon.com e mail.live.com

Alguns visitantes vieram dos motores de busca, sobretudo por versos bonitos, amor, estadio da luz, embrião e cristo rei

Atracções em 2010

Estes são os artigos e páginas mais visitados em 2010.

1

Belos versos Novembro, 2006
526 comentários

2

Casamento em Portugal Outubro, 2006
596 comentários

3

Consulado Brasileiro em Lisboa Maio, 2009
59 comentários

4

Notas sobre o amor Dezembro, 2006
5 comentários

5

Trilha sonora Setembro, 2006
20 comentários

Novas feições

detalhes tão pequenos A partir de hoje, este blog, que antes se chamava Sobretudo (e mais alguma coisa…) toma agora novos contornos. Passarei a dar ênfase aos pequenos detalhes que fazem a diferença em minha vida e fazem, na minha opinião, o mundo ter a sua diversidade. As diferentes áreas da vida serão abrangidas e deixo aqui já o registo de que aceito textos que possam enriquecer o meu, o nosso, senhor leitor, universo de detalhes. Acho que vou me divertir muito com essa nova aventura e espero que seja divertido também para quem aprecia as (entre)linhas desse blog.

Férias, here we go!

Aproximam-se minhas férias e a famosa angústia se apodera dos espaços em torno da pergunta “o que eu vou fazer para aproveitar o tempo?” Apesar de gostar de que as coisas aconteçam, sem planos e datas, ainda assim sou violada mentalmente por esse questionamento. Acho que vou aderir ao dolce farniente sem culpa nenhuma. Para mim, ter tempo para dormir, não ter hora para comer, não se preocupar com o que vestir, jantar e almoçar com o meu marido, que é coisa rara, já é extremamente divertido. Gosto de viajar. Isso não posso negar, mas não posso negar que também é muito stressante pensar em tudo meses antes, enfrentar filas homéricas em aeroportos, encontrar alojamento, reunir a macacada e a papelada, preparar roteiro, esforçar-se para que todos gostem de tudo… ai. Já estou cansada só de pensar que, além disso tudo, o calor tira toda a inspiração e energia da pessoa. Depois, quando vemos fotos e vídeos, fica aquela doce recordação de mais uma experiência vivida e a sensação de que tudo foi fácil, divertido, e não vemos a hora de partir novamente.

Instabilidade

Sexta choveu. Sábado vento frio. Domigo ensolarado. Segunda talvez chova novamente, talvez tenha de usar casaco. Terça posso calçar uma sandália. Quarta talvez tire as botas do armário; Hoje choro, amanhã sorrio, depois de amanhã irrito-me; O Papa em digressão contra a pedofilia, dentro da própria Igreja. Católicos portugueses contra o casamento gay. Presidente católico contrariado decreta a lei da união oficial entre homossexuais em nome do futuro financeiro do país; Portugal de olhos voltados para o futebol na África do Sul. Em Lisboa, a Copa do Mundo de Judô Masculino faz um campeão português e pouca gente sabe; Patrocinador da Selecção promove a vuvuzela acreditando que o povo irá soá-las só antes dos jogos, o que não acontece, e vai fazer desse Mundial de Futebol um inferno e prejudicar a concentração dos atletas. E o Brasil? Não sei. Já não moro mais lá. Ainda deve ser o país mais rico e mais pobre do mundo, mais ensolarado, mais chuvoso, com muita água e muitas áreas secas, com muitos trabalhadores e muitos oportunistas, com muita gente honesta e muito ladrão, com índios e paulistas, uma pátria mãe, madrasta, que eu amo e tenho desgosto ao mesmo tempo. E o pulso? Ai, ai… Apesar de tudo, ainda pulsa e já não espirro muito.